Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Músic(A)rtes

Music is the art that can calm the agitation of the soul

Esperança 🌎

11.09.19

Judith Owen

Novo single «I Still Dream of America».


Publicado por Ana

A aclamada cantora, compositora e pianista Judith Owen, que esteve no nosso país em Abril para dois concertos, sempre acompanhada pelo percussionista português Pedro Segundo, apresenta o novo e comovente single, «I Still Dream of America».

 

Judith Owen © Bernhard KuhmstedtJudith Owen © Bernhard Kuhmstedt

 

Para a artista galesa, que possui passaporte do Reino Unido e dos EUA, a música é ao mesmo tempo profundamente política e pessoal - dedicada à sogra, Dora Kohn, que fugiu da Polónia nazi, com 19 anos de idade, para ir para a América "e para todos que arriscaram as suas vidas por um futuro melhor e fizeram deste país (EUA) o notável caldeirão multicultural que ele é". "Como artista, imigrante e cidadã americana, preciso falar", diz Owen. “Depois de falar sobre o “muro”, e do ódio crescente direccionado àqueles que estão literalmente a arriscar a sua vida e saúde para encontrar segurança e uma vida melhor, senti-me compelida a escrever esta música. E o que é realmente um “muro”? É uma metáfora para todos aqueles que têm medo de "outras pessoas". E a ironia é que essas "outras pessoas" estão apenas a fazer o que todos nós fizemos. Pelo amor de Deus ... somos todos imigrantes! "

 

I Still Dream Of America

"I Still Dream of America" está enraizado na realidade actual, mas também remete à visão idealizada de Owen sobre os Estados Unidos que foi formada enquanto crescia no Reino Unido a ouvir música americana e a assistir aos clássicos vintage de Hollywood. "A maioria das pessoas que cresce fora dos EUA tem uma noção romântica de que é um lugar que promete segurança e uma segunda oportunidade", diz.



Owen tem encantado o público com as suas apresentações ao vivo em todo o mundo e atualmente está a realizar o seu "ciclo de músicas" intitulado "ELEGADA" (The Chosen) sobre as fascinantes musas de Picasso. "No próximo ano, vou concentrar-me principalmente nisso", diz ela, "e estou muito empolgada em voltar às minhas raízes - música clássica, com influências de jazz. Neste espectáculo, sou compositora, compositora, autora, escritora, atriz, pintora, com as implicações teatrais e a riqueza que vem dos EUA e do Reino Unido. " Antes disso, Owen fará uma digressão pela Europa e pelo Reino Unido, durante a qual se juntará a seu amigo e colaborador de longa data, o lendário Richard Thompson, como convidada especial (junto com alguns nomes sonantes da realeza britânica do rock e folk) na comemoração dos 70 anos de Thompson, dia 30 de Setembro no Royal Albert Hall em Londres. Depois disso, Judith muda de direção para se juntar a outra lenda ... o baixista Derek Smalls ("anteriormente da banda conhecida como Spinal Tap") para uma série de concertos a partir de 06 de Novembro no Wiltern Theatre em Los Angeles.

 

"Estou tão ansiosa por esses espectáculos, porque posso mostrar as minhas capacidades de representação", diz Owen. “Vou representar uma cantora de ópera, uma diva chocante e exagerada e cantarei de forma operativa e cómica. Também vou apresentar uma segunda personagem, uma mulher turbulenta 'icónica' que oferece 'Sex Farm' num estilo de Shirley Bassey / James Bond, completa com orquestra. É tão ridiculamente engraçado quanto parece, assim como a totalidade deste espectáculo brilhante, 'Lukewarm Water Live!'. Os próximos meses vão ser incrivelmente diversos.